Haia (AFP) – Os acionistas da gigante dos hidrocarbonetos Shell votaram por maioria, nesta sexta-feira (10), a favor da transferência da sede do grupo da Holanda para o Reino Unido e a retirada de ‘Royal Dutch’ do seu nome.O presidente do conselho de administração, Andrew Mackenzie, elogiou em um documento oficial o “apoio contundente dos acionistas”, que votaram 99,77% a favor das propostas em uma reunião em Rotterdam.O grupo irá, portanto, realocar sua residência fiscal e administração sênior, incluindo o CEO, Ben van Beurden, para Londres. A empresa manterá seus 8.500 funcionários na Holanda.A mudança “fortalecerá a competitividade da Shell e acelerará os acordos com os acionistas e a implementação de sua estratégia de se tornar uma empresa de energia com zero emissões líquidas até 2050, em linha com a parceria”, disse o grupo em um comunicado.A maior empresa de energia da Europa quer simplificar sua estrutura e alinhar sua residência fiscal com o país onde está registrada, o Reino Unido.Além disso, o grupo garante que a mudança, cujo anúncio ganhou as manchetes em novembro, permitirá à empresa acelerar a transição para emissões zero. “Diversos fatores” foram levados em consideração na decisão, destacou Mackenzie.O abandono por parte do governo holandês de um plano para abolir o imposto sobre dividendos foi um deles, admitiu.Mas negou que a mudança tenha sido motivada por uma decisão do tribunal holandês d este ano que exigia que a Shell reduzisse suas emissões.A empresa foi criada em 1907. A transferência significará uma perda de bilhões de euros em receitas fiscais para o Estado holandês, segundo a imprensa local.