Argentina ultrapassa 100.000 infecções por covid-19 em um dia

Buenos Aires (AFP) – A Argentina, que desde o final de 2021 enfrenta um aumento vertiginoso das infecções por covid-19, ultrapassou a barreira dos 100 mil novos casos nesta quinta-feira (6) e se posiciona como um dos países da América Latina onde a doença avança mais rapidamente.Com os centros de testes sobrecarregados com a disseminação da variante ômicron, nas últimas 24 horas foram registrados 109.608 novos casos e 40 mortes.Devido ao aumento das infecções, a ministra da Saúde, Carla Vizzotti, pediu às pessoas que estão em contato próximo com um paciente, mas não apresentam sintomas, que se isolassem e evitassem ir a centros de exames.“Acho que algumas medidas devem ser tomadas. Me parece que tudo é muito liberado e as pessoas não se cuidam muito. Agora estão começando a ver mais máscaras, mas há duas semanas era como se não houvesse pandemia”, Sol Castaño, um estudante de música de 21 anos que esperava para fazer o teste, disse à AFP depois de ter pego a doença.Observando que mais de 72% da população tem o esquema completo de vacina de duas doses, Vizzotti disse que “uma nova variante surgiu com uma situação diferente, com transmissibilidade extraordinária, mas com uma gravidade muito menor”.A variante ômicron foi detectada na Argentina pela primeira vez em 5 de dezembro. A ocupação das salas de terapia intensiva atualmente é de 37,5%.Na última semana, os novos casos aumentaram 155% em relação à semana anterior, de acordo com uma contagem da AFP baseada em números oficiais.“A ômicron está nos trazendo muitas surpresas. Não sabemos qual será o teto. Não há como impedir a transmissão”, disse Sonia Tarragona, chefe de gabinete do Ministério da Saúde.Com uma população de 45 milhões de habitantes, a Argentina tem até agora mais de 6 milhões de infecções e 117.386 mortes por covid-19.