Bolsonaro, Maia e Alcolumbre defendem teto de gastos

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou na noite desta quarta-feira (12), após reunião com os presidentes da Câmara e do Senado, ministros e parlamentares no Palácio da Alvorada, que o governo respeitará o teto de gastos.
Após o encontro, Bolsonaro e os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), fizeram pronunciamentos na entrada da residência oficial do Alvorada. O ministro da Economia, Paulo Guedes, também estava no encontro.
Bolsonaro defendeu o teto de gastos públicos e uma agenda de responsabilidade fiscal.

“Nós respeitamos o teto dos gastos, queremos a responsabilidade fiscal e o Brasil tem como realmente ser um daqueles países que melhor reagirá à questão da crise”, afirmou o presidente.

Uma ala do governo defende a prorrogação para além de 31 de dezembro do estado de calamidade pública para permitir ampliar os investimentos públicos.
Paulo Guedes é contra. O encontro ocorreu depois de mais duas baixas na equipe econômica.
Nesta terça-feira (11) pediram demissão Salim Mattar e Paulo Uebel. Salim estava insatisfeito com o ritmo das privatizações. Guedes qualificou os pedidos de demissão de debandada.

Confira a matéria:

Foto: AFP