Capitão Wagner não garante apoio exclusivo a Bolsonaro

Capitão Wagner não garante apoio exclusivo a Bolsonaro | Foto: Reprodução

O deputado federal Capitão Wagner (Pros), futuro presidente do diretório cearense do União Brasil (UB), disse ser a favor da criação de um palanque amplo de oposição no Estado e que possa ter partidos com diferentes candidatos à Presidência da República. O pré-candidato ao governo estadual do Ceará deve se filiar ao maior partido do país nos próximos dias.     

Wagner, que se mostrou próximo do presidente Bolsonaro nos últimos meses, acenou para outras siglas com possíveis candidatos como o Podemos, de Sergio Moro, o PL, de Bolsonaro, e o MDB, da pré-candidata e senadora Simone Tebet. 

“Todo apoio que vier a nível nacional será muito bem-vindo. Havia uma dúvida, o Capitão vai estar com candidato A, com Moro, com Bolsonaro. Aqui no Estado, nosso palanque vai permitir que o MDB, se vier, peça voto para o candidato dele, se o Podemos quiser pedir votos para o Moro vai pedir também, se o PL vem com a candidatura de Bolsonaro será bem recebido”, disse o parlamentar.

O Capitão disse ainda que sua gestão no novo partido não terá radicalismo nem irá impor um candidato do bloco. “O candidato é o que cada um achar conveniente e logicamente, confirmadas as alianças, nós teremos o nosso candidato a presidente definido”.