China solicitou à Rússia que invasão da Ucrânia ocorresse após Olimpíada, aponta relatório

China e Rússia | Foto: Reuters

Um relatório de inteligência ocidental aponta que as autoridades chinesas, solicitaram no início de fevereiro, que altos funcionários russos esperassem até o término dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim antes de iniciar uma invasão à Ucrânia, disseram autoridades dos Estados Unidos nesta quarta-feira (2). As informações foram divulgadas pelo The New York Times, que cita fontes sigilosas do governo Biden e um funcionário de um país europeu.
De acordo com o documento, o governo chinês tinha algum conhecimento dos planos do presidente Vladimir Putin. O presidente da China, Xi Jinping, e o presidente russo se encontraram na abertura das Olimpíadas de inverno, em 4 de fevereiro. A invasão à Ucrânia iniciou no mês passado, pouco depois do encerramento do evento. 
Porém, segundo o jornal americano, os funcionários que receberam o relatório têm interpretações diferentes, pois não está claro que os presidentes tenham realmente tratado da guerra.
Liu Pengyu, porta-voz da embaixada chinesa em Washington, disse: “as alegações mencionadas nos relatórios relevantes são especulações sem qualquer base, e pretendem transferir a culpa e difamar a China”.
China e Rússia são parceiros comerciais e possuem acordos geopolíticos. A declaração do relatório eleva preocupações ocidentais sobre uma possível aliança entre as duas nações.