Três primeiros casos confirmados da nova variante do coronavírus são registrados no Ceará

Outras 90 notificações de casos suspeitos estão sendo analisadas. 

Na tarde desta segunda-feira, 8, a Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa) informou que três pacientes do Ceará foram confirmados com a nova cepa do coronavírus vinda de Manaus. O órgão explicou que obtiveram resultados através de análises realizadas pela Fiocruz no Ceará e no Amazonas. Outras 90 notificações de casos suspeitos estão sendo analisadas. 

A Secretaria comunicou que, por meio de sequenciamento total, três amostras com genoma específico da linhagem do novo vírus foram identificadas. Dois dos casos confirmados são de viajantes. O terceiro caso refere-se a contactante, ou seja, o indivíduo reside no Estado e, provavelmente, já caracteriza a transmissão comunitária no Ceará.

Em vídeo divulgado pela Sesa, Carlos Roberto Martins, titular da pasta, conhecido como Dr. Cabeto, ressaltou que a identificação dos primeiros casos “chama atenção principalmente para o maior cuidado da população”, principalmente pelo indicativo de transmissão comunitária da variante. “Estamos diante de uma realidade epidemiológica bem diferente“, pontuou.

“Nós não sabemos ao certo ainda se essa mutação faz com que os casos fiquem mais graves, se o perfil da doença está mudando. Me parece que tem, sim, influências na apresentação clínica da população acometida, e até interferência da eficácia da vacina, como vimos que aconteceu na África do Sul. No entanto, é preciso de ainda mais tempo para que a gente possa analisar”, ponderou Dr. Cabeto.

“É importante, mais uma vez, preservarmos os cuidados de termos mais restrições. Obedecer ao uso de máscara, não aglomerar, e principalmente, criar o movimento solidário de cuidar da vida do outro”, completou com um alerta.

As identidades dos pacientes com amostras detectadas não serão expostas. No último dia 29, a Sesa informou que 55 pacientes estavam sendo monitorados devido à suspeita de estarem infectados com a cepa oriunda da capital do Amazonas.

33 pacientes do sexo masculino e 22 do sexo feminino; que no grupo, apenas um paciente veio transferido de Manaus; e que os 55 pacientes sob investigação no Ceará, 40 são viajantes e 15 são pessoas que tiveram contato com infectados.

Também conforme a entidade, não há cronologia nas amostras confirmadas, ou seja, os três pacientes provavelmente não são os primeiros a se infectar com a nova variante do vírus. Entre os suspeitos, 68,8% são viajantes e 31,2%, contactantes.

Orientação para os viajantes

Aos viajantes oriundos de toda região de Amazonas, Rio de Janeiro, São Paulo, Roraima, Pará e Sergipe, a entidade recomenda realizar quarentena de 14 dias após o dia da chegada no Ceará, e fazer um monitoramento sobre surgimento de sintomas. Nesses estados foi detectada a presença de novas variantes.

Se o viajante apresentar sintomas que sugiram doença respiratória aguda durante ou após a viagem, deverá procurar atendimento médico e compartilhar o histórico de viagens com o profissional.

Também são consideradas áreas de risco com circulação de novas variantes: Argentina, Canadá, Chile, Equador, Estados Unidos da América, Jamaica, México, Peru, Japão, Reino Unido, África do Sul e República Dominicana.

Além da notificação de casos suspeitos e imediato tratamento dos pacientes, o monitoramento das novas cepas tem o objetivo de compreender as implicações das mutações nas propriedades do vírus e o quanto ele pode impactar no incremento da transmissão, aumento das taxas de reinfecção e na efetividade das intervenções, incluindo vacinas.