De gasolina a cenoura; veja o que teve aumento no preço no Ceará

Alimentos que tiveram aumento no Ceará - Foto: Reprodução

Ainda não chegamos na metade do ano e já temos uma lista vasta de produtos e serviços que tiveram o preço elevado no Ceará e no país. Nesta quinta-feira (28), uma lista de alimentos tiveram o aumento de 15% em seu valor, na semana passada a Enel anunciou o aumento médio de 24,88% na conta de luz, nos primeiros meses do ano, houve aumento no botijão de gás e gasolina.

Gasolina, diesel e GLP

Devido a guerra que assola a Ucrânia, a Petrobras aumentou os preços da gasolina (18,8%), do gás de cozinha (16,1%) e do diesel (24,9%) em abril. A alta do petróleo devido ao conflito no país ucraniano chega ao Brasil por dois motivos: a Petrobras importa petróleo e derivados e repassa reajustes por conta da política de Preço de Paridade de Importação, adotada em 2016. 

Com o aumento nesses itens houve um desgaste envolvendo o Governo Federal e o ex-presidente da Petrobras, Silva e Luna. 

O presidente Jair Bolsonaro (PL) ficou descontente com a atuação da presidência da estatal, o que fez com que o general da reserva Joaquim Silva e Luna fosse demitido da cadeira a pedido de Bolsonaro.

Em meio a uma troca de comando na estatal, a Petrobras anunciou no dia 8 abril uma redução de 5,58% no preço do GLP para as distribuidoras. O novo valor começou a vigorar no dia seguinte.

Conta de luz

A distribuidora de energia Enel Distribuição Ceará aumentou em uma média de 24,88% no valor da energia distribuída na conta de luz, que passou a valer desde a última sexta-feira (22). O reajuste tarifário anual foi aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) na última terça-feira (19).

O reajuste tem diferenciação entre as categorias de consumo. Aos clientes de imóveis residenciais com baixo consumo o aumento do reajuste é de 24,26%. Aos consumidores de média e alta tensão, em geral, indústrias e grandes comércios, o índice aprovado foi de 24,18%. O reajuste foi maior aos consumidores de baixa tensão, como residências e pequenos negócios, com 25,12%.

Produtos refrigerados

Devido ao aumento na conta de luz no bolso dos cearenses, anunciado pela Enel, os alimentos refrigerados ficaram mais caros no Ceará a partir de maio. Produtos como carne, laticínios, frutas e verduras devem sofrer as maiores altas.

Alimentos no Brasil

Em apenas um ano, os brasileiros presenciaram os produtos usados para alimentação no lar ficarem 15,38% mais caros, de acordo com a prévia da inflação de abril (IPCA-15), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (27).

Alimentos do grupo de tubérculos e raízes, como aipim e abobrinha, tiveram uma alta de 68% nos últimos 12 meses, 46,75% somente neste ano. Cenoura e tomate tiveram uma alta absurda de 195% e 117,48%, respectivamente, em apenas um ano. A batata inglesa teve um aumento de 38,68%. 

Nas frutas usadas pelos brasileiros, os preços também desapontam com a laranja-baía (25,4%) e o mamão (40,33%). No grupo das hortaliças e verduras, de 35,76%. O repolho está quase 60% mais caro do que há um ano, enquanto a alface subiu 46,22%.

Outros itens presentes na mesa brasileira, como o macarrão e a farinha de trigo, também tiveram altas no período de 12 meses. Os produtos acumularam uma inflação de 15,03% e 19,82%, respectivamente. E o óleo de soja registrou um aumento de cerca de 30% no período.

Até o fubá, que é um dos alimentos mais baratos do mercado, também sofreu o efeito da inflação, com alta de quase 29%. O açúcar também pesou no bolso – 37,66% no caso do refinado e 36,33% para o cristal.