Eduardo Girão defende Moro após decisão de domicílio eleitoral negado

Girão defende Moro após decisão de domicílio eleitoral negado | Foto: Reprodução

O senador Eduardo Girão (Podemos-CE) chamou de “aberração” a decisão do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) que, por 4 votos a 2, negou a transferência do domicílio eleitoral de Sergio Moro. O ex-juiz cogitava se candidatar ao Senado por São Paulo.

“Estamos falando de um cidadão, Sergio Moro, que, pelo seu papel histórico na Operação Lava Jato, tornou-se uma figura pública com vínculos sociais, afetivos e políticos com todos os estados brasileiros, com destaque inclusive para São Paulo, com inúmeros registros de manifestação espontânea, com todo o apoio da população”, disse.

Girão ainda disse que a jurisprudência das últimas décadas consolidou, no caso do domicílio eleitoral, o reconhecimento dos vínculos familiares, profissionais, patrimoniais, comunitários, afetivos e políticos.

O senador também afirmou que o domicílio eleitoral, que é diferente do domicílio civil, tem um caráter mais amplo e flexível e citou como exemplo dessa flexibilidade o caso do ex-presidente da república, José Sarney, que se elegeu para o Senado pelo estado do Amapá.