Em 2022 já foram incendiados 134 veículos na capital cearense: como evitar esses acidentes?

Para reduzir o número de incidentes desta natureza é sempre bom estar com os itens revisados.

Acidente Veicular | Foto: Pexels

De acordo com o Corpo de Bombeiros, somente nos últimos meses de 2022, cerca de 134 veículos foram incendiados na capital. Um carro pode incendiar por vários motivos, como pane elétrica, pode ser um desgaste da bateria ou mau funcionamento do alternador, vazamento de combustível, problemas na tampa do combustível no reservatório, um ressecamento de partes como retentor, arrefecimento ou refrigeração que é o sistema que controla a temperatura nos motores.

A inspeção veicular, pode identificar tais problemas e direcionar um reparo certeiro para o veículo, além de prevenir acidentes, o ideal é a cada dois anos realizar uma boa inspeção e revisar vários itens.”A inspeção veicular, nada mais é do que uma avaliação, ela é uma análise bem criteriosa, uma verificação da conformidade daquele veículo, se ele tá dentro dos padrões legais, se está seguindo o que a legislação cobra”, complementa o engenheiro mecânico e responsável técnico na Cipetran, Marcelo Brasil.

Além de entender a importância da inspeção veicular de uma forma mais generalizada, é essencial que as pessoas tenham conhecimento sobre o extintor de incêndio veicular. A troca do extintor de incêndio é fundamental para garantir que ele esteja utilizável quando você precisar. Ele possui validade, a qual deve ser verificada de forma constante. Afinal, se você precisar utilizá-lo, e ele estiver vencido, ele pode não funcionar. Além de conferir qual é o tipo de extintor de incêndio mais adequado para o seu caso, é importante se atentar a validade para que não haja dor de cabeça e, inclusive, complicações legais. “No caso do
extintor de incêndio, sempre que for utilizado, ele tem que ser substituido ou quando expirar a validade. Vale lembrar que o extintor não é obrigatório para todo tipo de veículo. A obrigatoriedade do extintor vai para os caminhões, caminhão trator, veículos comerciais pesados, ônibus, micro-ônibus,” afirma Marcelo Brasil.