Empreendedorismo feminino transformando visões no mercado de trabalho

Um movimento que vem provocando grande crescimento no cenário nacional. Apesar dos desafios de ocupar um espaço historicamente masculino, as empreendedoras estão derrubando barreiras ano após ano, em busca de reconhecimento e igualdade de oportunidades. 

O empreendedorismo feminino envolve as iniciativas empreendedoras realizadas por lideranças femininas, contribuindo de forma conjunta o empoderamento das mulheres, abrindo percursos para que se tornem líderes não apenas de equipes, como também de sua própria trajetória profissional e pessoal. 

O empreendedorismo de mulheres vai além da definição de como as pessoas abrem seu negócio, mas representando também uma quebra de paradigmas quanto à capacidade de liderança da mulher, colaborando para a construção de uma sociedade mais justa. 

Segundo um levantamento do Sebrae, revela que as brasileiras empreendem, principalmente, devido à necessidade de ter outra fonte de renda ou para adquirir a independência financeira. Muitas empreendedoras também tomam esse caminho devido ao pouco espaço em cargos de chefia no mercado tradicional.

Shalini Unnikrishnan e Cherie Blair, explicam que os benefícios de apoiar a liderança feminina não se restringem ao incremento na receita global. Em reportagem da Forbes, afirmam:

“Diminuir a lacuna de gênero no empreendedorismo e alimentar o crescimento de empresas pertencentes a mulheres lançará novas ideias, serviços e produtos em nossos mercados. E, no final, essas forças podem redefinir o futuro“.

De acordo com o estudo “Women in The Boardroom – Uma Perspectiva Global“, as mulheres estão presentes em somente 16,9% dos assentos de conselhos de grandes empresas no planeta – número que cai para 8,6% no Brasil.

Nesse meio corporativo, elas ainda enfrentam assédio e preconceito, partindo de ideias retrógradas como a de que são muito emotivas ou de que não poderão se comprometer com a empresa se tiverem filhos.

Conforme análises do Sebrae, revelam que mulheres representam 48% dos microempreendedores individuais (MEI) no país, se destacando em setores como beleza, moda e alimentação.

Algumas inspirações de empreendedorismo feminino nacional: 

  • Camila Coutinho: Garotas Estúpidas

Na categoria de empreendedorismo digital, a blogueira Camila Coutinho tem muito a ensinar sobre produção de conteúdo e sucesso online.

Ela está na lista das 20 mulheres brasileiras mais poderosas da Forbes em 2020, graças ao sucesso de seu blog “Garotas Estúpidas” (GE). 

O que começou como uma brincadeira entre amigas que queriam um espaço para compartilhar fofocas se tornou um negócio altamente lucrativo, com crescimento comercial de 600% só em 2020. 

Hoje, Camila é embaixadora de grifes como Jean Paul Gaultier e frequentadora das principais semanas de moda, mostrando que é possível alcançar o sucesso financeiro e pessoal como influenciadora digital.

  • Rachel Maia

Rachel Maia ficou conhecida como a primeira mulher negra a ocupar o posto de CEO de uma multinacional no Brasil.

Até setembro de 2020, ela esteve à frente da grife Lacoste, e hoje preside sua própria consultoria de negócios (RM Consulting). 

Ao longo de sua carreira, liderou empresas dos setores de moda e luxo como Tiffany e Pandora, e foi reconhecida pelo estilo de gestão humanizada — o que lhe rendeu cinco prêmios “Great Place to Work” de liderança. 

  • Camila Farani: Investidora de startups

Camila Farani já criou diversos negócios. Hoje, ela se destaca por ser uma investidora-anjo e um dos “tubarões” do Shark Tank Brasil. É a única mulher bicampeã premiada como Melhor Investidora-Anjo no Startup Awards 2016 e 2018. 

Também é sócia-fundadora da G2 Capital, uma butique de investimentos em startups. Além disso, é co-fundadora do MIA, Mulheres Investidoras Anjo, grupo pioneiro no investimento anjo feminino. 

  • Cristina Junqueira: Nubank

Cristina Junqueira é co-fundadora do Nubank, uma fintech que já conta com 10 milhões de clientes. O negócio revolucionou os serviços financeiros, oferecendo um cartão de crédito sem banco. 

O grande diferencial é a facilidade em obter os serviços de forma 100% online. Com só 4 anos de existência, o Nubank é considerado uma das fintechs mais revolucionárias do país. 

Com informações da Fundação Instituto de Administração, Conta Azul e Ideia no Ar.