Encontrada nos EUA segunda cápsula do tempo em estátua de general confederado

Washington (AFP) – Trabalhadores que desmontavam o pedestal da estátua de um general confederado americano descobriram nesta segunda-feira (27) uma caixa de cobre que teria sido enterrada há 130 anos, e que seria a segunda cápsula do tempo resgatada neste local em Richmond, Virgínia. “Foi encontrada!”, tuitou o governador do estado, Ralph Northam. “Esta é provavelmente a cápsula do tempo que todo mundo estava procurando”. Segundo um artigo de um jornal de 1887, a base da estátua do general confederado Robert E. Lee ocultava uma cápsula do tempo contendo relíquias como botões e balas, moedas, mapas, uma estranha imagem do presidente assassinado Abraham Lincoln em seu caixão e outros artigos.Na semana passada, curadores abriram um contêiner do tamanho de uma caixa de sapatos, encontrada na base da estátua, mas que não era a mencionada no jornal antigo.A caixa encontrada na segunda-feira tem quase o dobro do tamanho e Northam, que acompanhou o tuíte com uma imagem do cofre, alertou que os curadores estudariam a peça e que não seria aberta na segunda-feira.Durante a Guerra Civil, o sul confederado separou-se dos Estados Unidos e lutou para manter a escravidão, que o restante do país tinha abolido.A estátua de Lee em Richmond, cidade da Virgínia que foi a capital do sul durante o conflito sangrento de 1861-65, está entre os monumentos que foram removidos nos últimos meses por representar os confederados, partidários da escravidão.A estátua foi alvo de protestos contra o racismo no ano passado após a morte de George Floyd, um homem negro assassinado por um policial branco em Minnesota.