Folha de louro pode conter substância antidepressiva, estuda UFC

Folha de louro pode conter substância antidepressiva, estuda UFC | Foto: Pixabay

A Universidade Federal do Ceará (UFC), em parceria com as federais da Paraíba e Piauí, estão desenvolvendo uma pesquisa na qual estuda uma substância presente na folha de louro, conhecida como “louro-rosa”, que pode servir como antidepressivo.

A substância encontrada na árvore amazônica é a riparina 3, um alcaloide presente na Aniba riparia (nome científico do louro). A espécie vem sendo investigada há alguns anos por pesquisadores do Laboratório de Neurofarmacologia, ligado à Faculdade de Medicina da universidade cearense (FAMED/UFC).

Em etapa pré-clínica, os pesquisadores apontam o potencial da riparina como antidepressivo. Os estudos iniciais são realizados com animais e constituem parte importante – ainda que preliminar – de qualquer processo de desenvolvimento de medicamentos.

Na pesquisa, um grupo de cobaias recebeu a riparina via oral, diluída em água destilada, enquanto outro grupo recebeu apenas água destilada, servindo como controle. Ambos foram submetidos a situações de estresse, às quais respondiam com comportamento semelhante à depressão.

Após uma série de testes e estímulos, o grupo que recebeu a riparina mostrou-se muito mais resistente à depressão induzida por estresse do que o grupo controle.

Com informações do portal G1.