Homem que matou agentes da PRF não possuía antecedentes criminais

Homem em situação de rua mata agentes da PRF-CE | Foto: Reprodução

O homem que assassinou dois policiais rodoviários federais, nesta quarta-feira (18), na BR-116, em Fortaleza, no Ceará, foi identificado por necropapiloscopia, que é um procedimento que consiste em realizar a identificação de pessoas mortas por meio das impressões digitais. 

De acordo com a Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), ele foi identificado como Antônio Wagner Quirino da Silva, de 31 anos e não possuía antecedentes criminais, segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Algumas horas após o caso, circularam nas redes sociais informações e fotos de que o suspeito do crime contra os agentes seria um ex-fuzileiro naval, no entanto, a informação foi desmentida pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O crime ocorreu na BR-116, no bairro da Cidade dos Funcionários. Os agentes estavam trabalhando na rodovia quando foram retirar o homem, que se encontrava em situação de rua e transitava entre os carros, com risco de ser atropelado. 

Conforme a PRF-CE, o criminoso resistiu à abordagem e entrou em luta corporal contra os policiais. Antônio Wagner conseguiu tirar a arma de um dos agentes e atirou contra eles, que não resistiram e morreram no local. 

Um policial militar que estava de folga e passava pelo local atirou contra Antônio Wagner, que também veio a óbito. 

Os policiais rodoviários foram identificados como Raimundo Bonifácio do Nascimento Filho, 43 anos, e Márcio Hélio Almeida de Souza, 53 anos. Márcio era casado e deixa um filho. Raimundo também era casado e deixou duas filhas. 

Agentes da PRF mortos | Foto: Reprodução

A PRF informou que está apurando o caso em conjunto com as forças de segurança responsáveis. Um gabinete de crise foi criado para acompanhar o caso.