Investigações sobre eleição americana são autorizadas

O chefe do Departamento de Justiça americano, William Barr, autorizou procuradores federais de todo o país a abrirem investigações sobre irregularidades nas eleições.
O presidente Donald Trump continua afirmando que perdeu a votação devido a uma fraude.
Barr indicou em carta aos procuradores do país que não se trata de uma indicação de que o Departamento de Justiça tenha provas de casos genuínos durante as eleições vencidas pelo democrata Joe Biden.
Mas o anúncio libera os funcionários de antigas restrições a esse tipo de investigação.
Os republicanos denunciam que houve votos ilegais e irregularidades na apuração, mas não apresentaram evidências.
Barr disse aos procuradores que essas investigações ou revisões devem ser conduzidas quando houver denúncias claras e aparentemente confiáveis de irregularidades.
Depois da notificação, o chefe do serviço responsável por crimes eleitorais, que supervisiona as investigações de fraude, Richard Pilger, anunciou sua renúncia, de acordo com vários meios de comunicação.
A política do Departamento de Justiça tem sido evitar qualquer envolvimento federal até que as apurações sejam certificadas; as recontagens, concluídas; e as disputas, encerradas.