Lira adia votação de PEC dos Benefícios para próxima terça-feira

Presidente da Câmara dos Deputados | Arthur Lira

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), adiou para terça-feira (12), a votação da PEC dos Benefícios, diante do risco de rejeição da proposta por falta do número mínimo em sessão nesta quinta-feira (7).

O presidente da Casadecidiu adiar a votação após o requerimento de encerramento de discussão anterior à votação ser aprovado por 303 votos a 91, dando uma amostra do sentimento do plenário e colocando em dúvida se a PEC receberia os votos exigidos.

Por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), a medida precisa obter, no mínimo, 308 votos nos dois turnos de votação na Câmara. O painel marcava a presença de 427 deputados na Casa no momento.

“Não vou arriscar nem essa PEC nem a próxima PEC com esse quórum na Câmara hoje, 427”, disse Lira, em plenário. “Nada mais havendo a tratar, vou encerrar os trabalhos, antes convocando sessão deliberativa extraordinária para terça-feira”, acrescentou, informando que a PEC estará na pauta, assim como uma outra PEC que trata do piso da enfermagem.

Com um impacto fiscal estimado de 41,25 bilhões de reais, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Benefícios cria um estado de emergência em ano de eleição.