Madri recomenda ficar em casa nas regiões mais afetadas pelo vírus

As autoridades da região de Madri recomendaram nesta sexta-feira (21) que a população permaneça em casa nas regiões mais atingidas pelo coronavírus, após o balanço total de casos diagnosticados na Espanha subir em mais de 8 mil nas últimas 24 horas.
De acordo com o relatório diário do Ministério da Saúde, o país soma até essa data cerca de 386.054 casos diagnosticados, 8.100 a mais que o registro do dia anterior.
O aumento é superior ao de quinta-feira, quando a alta do número total de casos desde a véspera havia sido de 7 mil.
Os mortos confirmados até essa data chegam a 28.838, 25 a mais que na quinta-feira.
A região de Madri é a mais atingida, e na quinta-feira foi a que teve mais casos diagnosticados, 1.199 segundo a pasta da Saúde. Atualmente, são 26 focos ativos na região.
Diante deste panorama, o vice-conselheiro de Saúde Pública do governo regional madrilenho, Antonio Zapatero, declarou à imprensa que convém “tentar manter-se em casa nas regiões em que há mais incidência de casos”, referindo-se a alguns bairros do sul de Madri e nas proximidades da capital espanhola como Leganés, Fuenlabrada ou Móstoles.
“Devemos tentar evitar viagens desnecessárias”, completou, acrescentando também que devem ser evitadas “reuniões desnecessárias” e garantir que, dentro de casa, não ultrapassem dez pessoas.
“O vírus se move porque nós nos movemos”, alertou um funcionário, enfatizando que a situação atual de Madri é preocupante.
“Não vale a pena, eu acho, tomar medidas de confinamento por zonas”.

Foto: Reprodução