Lima (AFP) – A mina de cobre Las Bambas, no Peru, operada pela empresa chinesa MMG, anunciou nesta sexta-feira (3) que suspenderá suas operações em meados deste mês devido a bloqueios de estradas por moradores.A empresa disse que tomou a decisão de interromper as operações devido ao bloqueio na estrada em Chumbivilcas, a cerca de 200 km do local, situado na região andina de Apurímac, uma das mais pobres do Peru.”Como resultado do bloqueio atual e das restrições logísticas de entrada e saída, Las Bambas foi forçada a reduzir progressivamente as operações de mineração e a produção será interrompida em meados de dezembro devido à falta de insumos importantes”, disse a empresa em um comunicado.A companhia também lembrou que a última reunião, realizada nesta terça-feira entre o governo peruano e as lideranças dos colonos, não chegou a um acordo para levantar o atual bloqueio da estrada de Chumbivilcas, que começou no dia 20 de novembro.A empresa considera que as demandas da população local são “excessivas”. As comunidades exigem se tornar provedoras de transporte, da manutenção de estradas e de outros serviços para a mineradora, entre outras demandas.Las Bambas já enfrentou diversas interrupções e suas atividades tiveram que ser suspensas por quase 400 dias desde que começou a operar em 2016, segundo a imprensa local.O anúncio da paralisação pode prejudicar a imagem do país em um momento no qual o governo de Pedro Castillo tenta dar confiança aos mercados para atrair investimentos.”Isso gera uma imagem muito negativa do Peru”, afirmou o presidente da mineradora Buenaventura, Roque Benavides, à rádio RPP.As perdas em Las Bambas causadas pelos bloqueios chegam a 9,5 milhões de dólares diários, segundo a Sociedade Nacional de Minas, Petróleo e Energia (SNMPE) do Peru, que reúne as empresas desses setores.”Las Bambas tinha planejado investir mais de 2 bilhões de dólares na ampliação da mina, mas sob tais circunstâncias de insegurança e sem garantias, o investimento será reavaliado, o que significará um duro revés para a mineração peruana”, afirmou o diretor-executivo da SNMPE, Pablo de la Flor, à RPP.Las Bambas produz cerca de 400.000 toneladas de cobre por ano, mas o transporte do mineral para os portos tem sido dificultado pelos bloqueios.Trata-se de um depósito a céu aberto localizado a 4.000 metros de altitude. O consórcio chinês MMG comprou os ativos da suíça Glencore Xtrata em abril de 2014 por quase US$ 6 bilhões.O Peru é um dos maiores produtores mundiais de prata, cobre e ouro. A mineração é um dos motores da economia peruana. Os conflitos sociais frequentemente causam interrupções nas operações de mineração e petróleo no país.