Ministério da Sáude reconsidera e orienta os municípios manter a reserva de segunda dose contra Covid 19

Nesta terça-feira, 23, o Ministério da Saúde reconsiderou e orientou que os municípios ainda mantenham a reserva de vacinas contra a Covid-19 para a aplicação da segunda dose no intervalo de até 28 dias. O reposicionamento consta em nota técnica elaborada para o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação.

Na última sexta, 19, contudo, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, havia garantido o abastecimento, alterando a orientação para que as cidades não retivessem o estoque para segunda dose, justificando que chegaria 4,7 milhões de imunizantes.

A orientação para não manter a reserva passaria a valer a partir de terça 23. O documento atualizado ontem, porém, recomenda o contrário.

“Tendo em vista o intervalo entre a dose 1 (D1) e dose 2 (D2) (2 à 4 semanas), e considerando que ainda não há um fluxo de produção regular da vacina, orienta-se que a D2 seja reservada para garantir que o esquema vacinal seja completado dentro desse período, evitando prejuízo nas ações de vacinação”, informa a nota. 

No Ceará, os quatro lotes recebidos somam 449.900 doses. Destas, 149.783 foram destinadas para a segunda dose, de acordo com o Vacinômetro, atualizado pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa). A distribuição para o quinto lote com 8.500 imunizantes recebidos nesta quarta-feira, 24, ainda não foi divulgada.