Oficial da Marinha que matou pais de ex-companheiro é preso

O militar Cristiano da Silva Lacerda, de 49 anos, foi preso por matar a facadas os pais do ex-marido, Felipe da Silva Coelho, de 40 anos.

A Polícia do Rio de Janeiro prendeu o militar Cristiano da Silva Lacerda, de 49 anos, pelo assassinato de um casal de idosos no último sábado (25). As vítimas eram pais do ex-namorado do criminoso, são cearenses e estavam na cidade para visitar o filho.

O militar foi detido logo após o crime, ele foi encontrado na cama-baú da casa onde cometeu o assassinato com uma faca ensanguentada. Cristiano foi levado ao Hospital da Marinha, pois fez uso de remédios.

O filho das vítimas e ex-companheiro do militar, o professor Felipe da Silva Coelho, de 39 anos, disse em entrevista que seus pais estavam passando dias com ele em sua residência, no Jardim Botânico, Zona Sul do Rio, e voltariam a Fortaleza na próxima semana.

De acordo com Felipe, eles terminaram o relacionamento em abril, no entanto, Cristiano ainda estava na residência até encontrar outro local para morar. 

Apesar do término em abril, após dois anos de relacionamento, Cristiano seguia vivendo com Felipe até que encontrasse um novo local para viver. 

Por isso, estava sozinho com os pais do ex-namorado enquanto Felipe participava de um evento em Ipanema na noite da última sexta-feira (24).

Ainda segundo Felipe, seus pais tinham costume de deitar cedo e dormiam no sofá-cama da sala quando foram atacados pelo capitão da fragata.

Na ocasião, o professor passou a receber mensagens do ex-namorado pedindo que voltasse para casa, alegando que a mãe dele estava passando mal.

Felipe com seus pais no Rio de Janeiro | Foto: Reprodução

“Ele me mandou mensagem, falou que minha mãe não estava bem e que era para eu voltar. Na mesma hora, eu pedi um Uber. Ele seguiu mandando outras mensagens, perguntando se eu voltaria ou ficaria com meus amigos. E também me ofendeu”, disse.

O crime

Ao chegar em em casa, Felipe encontrou os pais, Geraldo Pereira Coelho, de 73 anos, e Oselia da Silva Coelho, de 72, já mortos em cima do sofá-cama e Cristiano estava inconsciente na cama-baú, com uma faca e uma garrafa de bebida. 

No apartamento, foram encontradas caixas de medicamento e seringas que foram usadas por Cristiano.

Felipe pediu ajuda, mas as vítimas já estavam mortas. Ao procurar a administradora do condomínio, o rapaz soube que não foi ouvido nenhum indício de briga ou discussão em seu apartamento naquela noite.

O professor contou que Cristiano tinha um histórico de agressividade e que havia terminado o namoro com o militar justamente após uma briga com violência física.