OMS concede aprovação de emergência para a vacina AstraZeneca

A Organização Mundial da Saúde (OMS) concedeu nesta segunda-feira, 15 de fevereiro, a aprovação emergencial para o imunizante anticovid da AstraZeneca, o que abre caminho para a distribuição de centenas de milhões de doses para países desfavorecidos.

Este consentimento de emergência auxília os países que não dispõem de meios para determinar por si próprios a eficácia e segurança de um medicamento a ter acesso mais rápido às terapias e permite que o dispositivo Covax, configurado para garantir o acesso equitativo à vacina, comece a distribuição.

A vacina da AstraZeneca representa a grande maioria das 337,2 milhões de doses que o dispositivo Covax, integrado pela OMS, pela Aliança da Vacina (Gavi) e pela Coalizão por Inovações em Preparação para Epidemias (Cepi), tenciona distribuir no primeiro semestre deste ano.

A aprovação diz respeito a duas versões, uma produzida na Índia e outra na Coreia do Sul.

Na semana passada, a vacina foi recomendada pelo comitê de especialistas em vacinas da OMS para qualquer pessoa com 18 anos de idade ou mais, principalmente em países onde mais variantes contagiosas estão circulando.

Contudo, o imunizante desenvolvido pela Universidade de Oxford (Reino Unido) e pela gigante farmacêutica tem apresentado dúvidas sobre sua eficácia para maiores de 65 anos e diante da variante do vírus inicialmente detectada na África do Sul, porém agora presente em muitos países.

No ponto de vista da Organização Mundial da Saúde e de seus especialistas, essa vacina supre perfeitamente a prioridade do momento: limitar a gravidade e a mortalidade de uma pandemia que já matou 2,4 milhões de mortos em pouco mais de um ano.