OPAS alerta que coronavírus ‘não mostra sinais de desaceleração nas Américas’

A diretora da Organização Pan-americana da Saúde (OPAS), Carissa Etienne, alertou nesta terça-feira (21) que a pandemia de coronavírus “não mostra sinais de uma desaceleração” nas Américas, onde a maioria das mortes se concentram no Brasil, México e Estados Unidos.
Etienne afirmou que até 20 de julho havia 311.000 mortes nas Américas e que na semana passada a região chegou aos 900.000 novos casos com 22.000 mortes, em sua maioria no Brasil, México e Estados Unidos.
A diretora da OPAS destacou, entretanto, a situação do Canadá, que conseguiu aplanar a curva de contágios enquanto no restante da América do Norte os casos continuam aumentando.
Etienne também afirmou que, na semana passada, a maioria dos países da Mesoamérica registraram o maior aumento semanal de casos desde o início da pandemia.
Por outro lado, ela destacou que em pleno inverno no Hemisfério Sul, Chile, Argentina e Uruguai alcançaram progressos significativos no monitoramento da gripe.
“Há uma circulação muito baixa da gripe registrada nesses países, o que indica que a higiene de mãos e o distanciamento social também podem contribuir para a redução de outros vírus respiratórios”, comentou.

Foto: Reprodução