OPEP+ anuncia leve aumento na produção para fevereiro

Londres (AFP) – Os 23 países da OPEP+ decidiram nesta terça-feira (4) voltar a aumentar levemente a produção de petróleo em fevereiro, em um contexto em que a demanda está pouco afetada pela variante ômicron do coronavírus. Os representantes dos treze membros da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e seus dez aliados, por meio do acordo OPEP+, decidiram “ajustar seu nível de produção total em 400.000 barris diários para o mês de fevereiro de 2022″, anunciou a OPEP em um comunicado após uma reunião rápida e sem surpresas.A reação do mercado foi limitada, já que a decisão havia sido antecipada pelos investidores.Os preços do petróleo subiam até 11h30 no horário de Brasília  (+0,79% a 79,60 dólares para o Brent, a referência europeia do petróleo), apoiados pelas perspectivas otimistas da organização sobre a demanda. Vários indicadores mostram que nem todos os países-membros estão em condições de aumentar suas extrações, mesmo com um objetivo relativamente baixo.Em dezembro, os produtores decidiram aumentar um pouco sua produção, apesar da incerteza gerada pela variante ômicron do coronavírus, que provocou uma queda dos preços.- Impacto limitado -A aposta deu certo para o cartel: a organização respondeu favoravelmente às exigências dos Estados Unidos e os preços do petróleo se recuperaram. Muitos analistas estimam que o aumento dos preços do ouro negro continuará em 2022, com ou sem a variante ômicron.”Entre os especialistas científicos, um consenso cada vez mais amplo está surgindo: a imunidade está cada vez mais disseminada, seja por vacinação, seja por infecções. E isso limitará, consideravelmente, o efeito do vírus nos próximos meses”, estima Tamas Varga, analista da PVM.Na mesma linha, durante uma reunião técnica na segunda-feira (2), os analistas da OPEP disseram aos 13 países-membros e a seus dez parceiros que o impacto da ômicron sobre a demanda será moderado.Isso pode alimentar o apetite dos investidores pelo petróleo, apesar de “a Agência Internacional de Energia alertar que haverá um excedente nos primeiros meses de 2022″, ressalta Ipek Ozkardeskaya, analista da SwissQuote.- Dificuldades -Mas, ainda que os países da OPEP+ venham aumentando sua produção, paulatinamente, desde o ano passado, os especialistas destacam que alguns deles, como Nigéria e Angola, têm tido dificuldades.”O importante aqui foi que a Rússia não aumentou sua produção em dezembro, o que pode ser um sinal de que está se aproximando de sua capacidade de produção”, diz Bjarne Schieldrop, analista-chefe de matérias-primas da SEB, líder mundial na fabricação de eletrodomésticos.Outro peso-pesado do grupo, o Irã, viu suas exportações encolherem, devido às sanções econômicas impostas pelos Estados Unidos.As negociações entre Teerã e países ocidentais para tentar revitalizar o acordo sobre o programa nuclear iraniano e devolver os Estados Unidos ao pacto foram retomadas no final de novembro. Até o momento, porém, o mercado parece cético quanto aos barris iranianos.”Um fracasso [das negociações] levaria a novas sanções” e “a um aumento das tensões no Oriente Médio e no Golfo”, o que poderia provocar outro aumento de preços, afirmou Shieldrop. Na segunda-feira, a OPEP nomeou um novo secretário-geral, o kuwaitiano Haitham al Ghais, um veterano do setor que sucederá o nigeriano Mohammed Barkindo em agosto, por três anos.Durante o mandato de Barkindo, que está no cargo desde 2016, a OPEP estabeleceu a aliança OPEP+ e recuperou sua posição dominante no mercado do petróleo.