Pacheco e Lira apresentam medidas prioritárias e defendem agilidade na vacinação

Nesta quarta-feira, 3 de fevereiro, os  novos presidentes do Senado e da Câmara, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e Arthur Lira (PP-AL), apresentaram medidas que acreditam serem prioritárias para o país e assinaram um documento em que potencializam a intenção de dar agilidade à vacinação contra a Covid-19.

“Assegurar, de forma prioritária, que todos os recursos para aquisição de vacinas estejam disponíveis para o Poder Executivo e que não faltem meios para que toda a população possa ser vacinada no prazo mais rápido possível; e que a peça orçamentária a ser votada garanta que cada brasileiro terá a certeza de que o dinheiro do seu imposto estará disponível para sua vacina”, declara o documento lido por Pacheco e Lira.

Após participarem de um pronunciamento conjunto no Congresso, os presidentes se dirigiram à primeira reunião com o presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto. Os dois foram apoiados pelo Presidente da República nas eleições do Legislativo.

Pacheco e Lira anunciaram que vão solicitar um prazo para a apresentação dos relatórios da reforma tributária e da proposta de emenda à Constituição (PEC) Emergencial. A PEC Emergencial elabora mecanismos de controle de despesas públicas para União, estados e municípios.

Eles ainda ressaltaram que prioritariamente em suas gestões estarão as aprovações da reforma administrativa e da PEC dos Fundos Públicos.

Dentro do governo, a expectativa é que os novos comandos de Câmara e Senado facilitem a tramitação e a aprovação de matérias de interesse do Executivo. As reformas são consideradas pela equipe econômica como essenciais para garantir a retomada da economia.

Também ao ler o documento, Pacheco e Lira reforçaram que planejam encontrar maneiras de auxiliar financeiramente os setores pobres da população, que ainda sofrem com os efeitos econômicos da pandemia. Concomitantemente, colocaram em evidência o compromisso com a manutenção do teto de gastos.

“O Senado Federal e a Câmara dos Deputados manifestam que trabalharão de forma conjunta, harmônica e colaborativa em todos os temas que possam facilitar e ajudar os brasileiros na superação do drama da pandemia, incluindo, sobretudo, a análise das possibilidades fiscais para, respeitando o teto de gastos, avaliar alternativas de oferecer a segurança financeira através de auxílio emergencial”, afirmaram os presidentes do Senado e da Câmara.