‘Querem fazer palanque sobre caixões’, diz Marcos Rogério sobre pedido para nova CPI da Covid-19

‘Querem fazer palanque sobre caixões’, diz Marcos Rogério sobre pedido para nova CPI da Covid-19 | Foto: Reprodução

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) em uma entrevista ao vivo para o Jornal da Manhã, da Jovem Pan News, opinou sobre o pedido de abertura de uma nova CPI da Covid-19, solicitado pelo colega parlamentar Randolfe Rodrigues (Rede-AP), para apurar omissões do governo federal na vacinação de crianças de 5 a 11 anos de idade. 

Rogério criticou a iniciativa e disse que é uma tentativa de influenciar o resultado das eleições presidenciais, prejudicando o presidente Jair Bolsonaro (PL) e sua gestão do combate à pandemia. Rogério disse que os senadores que propuseram a abertura de uma nova CPI estão criando palanques sobre as mortes. “Eu não tenho dúvida disso. É o culto ao caos”, opinou.

“Ao tentar recriar uma CPI aqui, com todo respeito, tentam criar um ambiente para o embate político no jogo pré-eleitoral. Porque, do ponto de vista processual, faltou lá [cumprir a função de CPI] e vai faltar aqui. Querem fazer palanque sobre caixões. Eu não tenho dúvida disso. É o culto ao caos. O mundo todo está com problema com a pandemia. Países avançados, desenvolvidos, estão com problema. Israel está indo agora para a quarta dose da vacina, e os números continuam preocupantes. Na Europa a situação é crítica. No Brasil respostas têm sido dadas tanto pelos municípios, pelos Estados, mas sobretudo pelo governo federal, que é quem compra a vacina e quem dá as condições de logística e os grandes investimentos para o enfrentamento”, criticou.

O senador ainda também defendeu o governo federal em relação a suposta omissão na compra de vacinas para crianças: “Na verdade, se sabe que não houve omissão e que não houve atraso. O Ministério da Saúde agiu dentro do prazo, a partir da decisão da Anvisa de autorizar a imunização de crianças. Eu não tenho dúvida de que é uma uma tentativa lamentável, porque isso não contribui com o processo de enfrentamento à pandemia”, disse Rogério. 

Com informações da Jovem Pan.