Roberto Dias afirma que nunca insistiu em apressar a aprovação da vacina Covaxin

O ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias, disse, nesta quarta-feira (07), em seu depoimento à Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI) da Covid-19, estar sofrendo perseguição por parte dos irmãos Miranda, por conta de vetos em nomeações de cargos.

Segundo Roberto Dias, a denúncia feita pelo deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) é um ato de retaliação por ter negado o pedido de nomeação de cargos ao irmão do deputado, Luis Ricardo Miranda.

“Confesso que neguei um pedido de cargo para seu irmão servidor. E por um momento pensei que pudesse ser uma retaliação. E confesso que sempre achei desproporcional demais. Mas agora, o que se deslinda, é a possibilidade de ter ocorrido uma frustração no campo econômico também.”

Dias, quando foi questionado pelo relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL) se teria feito pressões atípicas sobre Luis Ricardo Miranda, e acelerado o processo de importação da vacina Covaxin, como declarado pelo servidor da Saúde, afirmou nunca ter insistido em acelerar a aprovação da vacina.

Assista AO VIVO: