Servidores do Detran de Pentecoste são afastados suspeitos de superfaturamentos na venda de placas de veículos

Justiça de Pentecoste, no Ceará, afasta dois servidores públicos do Detran por suspeita de corrupção | Foto: Reprodução

A Justiça de Pentecoste, no Ceará, afastou dois servidores públicos do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) por suspeita de corrupção. Eles estariam cobrando valores indevidos dos clientes na venda de placas de veículos. Ao invés de entregarem os boletos de pagamento das taxas cobradas pelo Detran, os acusados solicitavam diretamente quantias aos consumidores, que eram pagas em espécie. Ambos afastados dos cargos são investigados por corrupção passiva em procedimento de investigação criminal.

O Detran comunicou que foi notificado da decisão da justiça e que já tomou as medidas necessárias, como o afastamento dos servidores. Além disso, o órgão afirmou que também bloqueou todos os acessos à sistemas informatizados e determinou a proibição de acesso às dependências.

O Detran também afirma que “instaurou sindicância para apuração dos fatos e repercussões administrativas, civis e penais.” O órgão esclarece que os serviços de atendimento ao público não sofrerão problemas de continuidade em Pentecoste.

O Ministério Público do Ceará (MPCE) solicitou o afastamento dos servidores e a Justiça acatou.O pedido do MPCE foi deferido na última quinta-feira (28) pelo juiz de direito da vara única da comarca da cidade, Luiz Guilherme Costa.

De acordo com MPCE, os funcionários públicos cobravam o valor da taxa de emplacamento do veículo acrescida de uma quantia superfaturada referente ao valor da placa, não comercializada pelo Detran. Em seguida, eles compravam placas de veículos em empresas licenciadas por um preço menor do cobrado aos consumidores, e ficavam com a diferença do valor pago, lucrando com a venda ilegal superfaturada das placas.