Tensão na fronteira entre Líbano e Israel

O exército israelense reivindicou nesta quarta-feira (26) ataques aéreos contra posições do Hezbollah no Líbano, ao longo da fronteira entre os países, uma área patrulhada por capacetes azuis das Nações Unidas, em ‘resposta’ a tiros do movimento xiita contra os soldados.
Em comunicado, o exército israelense afirmou que disparos foram feitos a partir do Líbano, respondidos ‘com sinalizadores e tiros’.
O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu ‘aconselhou’ o Hezbollah a ‘não testar a força’ de Israel e não colocar o ‘Líbano novamente em perigo devido às agressões’.
O Estado hebreu considera de ‘extrema gravidade’ os tiros contra soldados na fronteira e prometeu uma resposta ‘enérgica’ caso voltem a acontecer.
Os novos incidentes ocorreram depois que o Hezbollah anunciou no fim de semana que derrubou um drone de Israel que cruzou a fronteira.
Mais de 10 mil capacetes azuis da Missão da ONU no Líbano patrulham a fronteira entre os países para velar pelo cumprimento da resolução 1701 do Conselho de Segurança das Nações Unidas, adotada depois da guerra entre os países em 2006 para prevenir um novo conflito.

Confira a matéria:

Foto: AFP