Tereza Cristina diz que Brasil errou ao parar de produzir fertilizantes

Teresa Cristina - Ministério da Agricultura

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina (União Brasil), afirmou nesta que o Brasil tomou uma decisão equivocada quando decidiu parar a produção nacional de fertilizantes usados em lavouras. Para ela, a autossuficiência no insumo é uma questão de segurança alimentar e até de segurança nacional.
“Por que tomamos lá no passado a decisão equivocada de não produzir fertilizantes?”, disse ela, em entrevista coletiva. “No passado, a decisão era de importar pois era mais barato. Mas o Brasil precisa tratar esse assunto como segurança nacional e segurança alimentar.”
Dados da Associação Nacional para Difusão de Adubos (ANDA) tabulados pela consultoria StoneX indicavam que, ainda em 2020, cerca de 84% dos fertilizantes usados por agricultores brasileiros já eram importados. Esse percentual de importação é o maior já registrado em mais de 20 anos – e deve aumentar.
Estimativas da StoneX apontam que, em 2021, 85% de todo fertilizante consumido no Brasil foi importado. A Rússia, que entrou em guerra contra a Ucrânia há uma semana, é o maior fornecedor de fertilizante para o país.
O fechamento de três fábricas de fertilizantes da Petrobras durante os governos de Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro (PL) aumentou a dependência do Brasil em relação aos adubos vindos da Rússia.
Com informações do Brasil de Fato.